Como a restrição pode gerar compulsão

A alimentação é um fator muito importante para nossa vida, e seguir uma dieta de forma consciente e com o auxílio de um profissional é o mais correto a se fazer. Quando nos deparamos com as “dietas” que prometem resultados milagrosos e, em muitos casos, não levam em consideração a nossa saúde, esse pode ser um dos fatores que ocasionam exageros alimentares e, em casos mais graves, compulsão alimentar.


O transtorno de compulsão alimentar (TCAP) é definido como uma doença psiquiátrica que se caracteriza por situações em que o indivíduo ingere alimentos em quantidades maiores do que deveria em um curto espaço de tempo. Além da falta de controle, também sente culpa, vergonha, angústia e depressão. Geralmente, não possui um tipo específico de comida, pois acaba consumindo todo e qualquer tipo de alimento. O TCAP também é associado à má relação que a pessoa possui com a comida.


A restrição alimentar é tida por muitos como uma alternativa de perda de peso, mas não é bem assim. Segundo alguns estudos, mesmo sem ingerir determinados alimentos, ela não é capaz de mudar o comportamento do indivíduo com a comida e, mesmo que haja perda de peso, depois de um certo período, a pessoa poderá retornar ao peso inicial. Além de causar sérios problemas como doenças cardiovasculares e mortalidades, também pode ser associada às flutuações de peso ao longo da vida.


A partir disso, as restrições podem causar um efeito rebote no indivíduo, gerando compulsões e descontroles. Policiar-se sobre certos alimentos, ficar longos períodos sem comer ou não consumir a quantidade ideal de comida faz com que o cérebro venha a pensar obsessivamente em comidas calóricas e com energia mais rápida, como doces, pães e sorvetes. Ao fazer as refeições, a quantidade de comida a ser ingerida tende a ser maior e de forma descontrolada, já que o corpo se prepara para ficar um longo período sem comer.

Além das complicações físicas, também podem surgir aumento da depressão, ansiedade, nervosismo e fraqueza.


Desse modo, é importante enxergarmos o corpo com carinho e cuidado, pois a nossa relação com a comida deve ser saudável, não apenas em relação aos alimentos, mas sim de visualizá-la como uma fonte de energia, necessidade e prioridade. Muitas vezes, associamos a saúde a certos estereótipos e acabamos esquecendo que ela é muito mais do que estética: é a garantia de que estaremos bem. Se porventura houver um quadro de distúrbio alimentar, consulte um profissional para auxiliá-lo em seu diagnóstico e indicá-lo os possíveis tratamentos.


Fontes:

http://gatda.com.br/index.php/2016/07/14/dietas-restritivas-levam-a-compulsao/

https://www.ellencocino.com/novidades/compulso-alimentar-como-a-restrio-pode-ser-um-perigo-na-dieta

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Não é novidade que o colágeno é um dos fatores primordiais para a saúde dos cabelos, unhas e a elasticidade da pele, mas a proteína é muito mais do que isso. Produzido pelo nosso corpo, ele desempenha

A constipação intestinal (ou obstipação), chamada também de prisão de ventre e intestino preso, é caracterizada pela dificuldade de evacuar - mesmo que o indivíduo sinta vontade intensa. Não existe ao

Mindful Eating foi criado através do Mindfulness, uma prática recente de meditação descrita como um estado de consciência, visando focar no momento presente, de forma intencional e sem julgamentos, pr

Logo.png