Dia Mundial Sem Carne

O consumo da carne vem diminuindo cada vez mais, por influências vegetarianas e veganas que mostram como o consumo da carne prejudica, não só os animais mas o meio ambiente como um todo - e até a própria saúde - como mostrarei a seguir!


Benefícios da dieta sem carne


  • O Estudo ADVENTIST encontrou associação significativa entre a ingestão de carne e o risco de diabetes. Os vegetarianos apresentaram, aproximadamente, a metade do risco de desenvolver diabetes, independentemente do peso corporal, da atividade física e de outros fatores associados à dieta;

  • De acordo com a European Prospective Investigation on Cancer Oxford (EPIC) e o Adventist Health Study-2, vegetarianos, em especial os veganos, são mais magros que os onívoros e consumidores de carne. Entre as possíveis explicações para este dado estão: o consumo elevado de fibras, grãos integrais, nozes e sementes, bem como o consumo reduzido de gordura e energia pelos vegetarianos. Por outro lado, o consumo de carne vermelha também apresentou maior risco de desenvolver sobrepeso e obesidade;

  • Uma metanálise recente demonstrou que apenas o consumo de carne processada está ligado à elevação do risco de doenças cardiovasculares e a redução do risco cardiovascular com dietas baseadas, preferencialmente, em vegetais, por exemplo a Dieta do Mediterrâneo;

  • O Estudo EPIC Oxford demonstrou que a ingestão de carne está associada à maior incidência de hipertensão;

  • O Fundo Mundial de Pesquisas em Câncer relatou a existência de evidências científicas para a elevação do risco de desenvolver câncer de cólon vinculado ao consumo de carne vermelha ou de carne processada.


Sustentabilidade e o não consumo de carne


  • O consumo excessivo de carne é umas das principais causas que afetam a mudança climática, já que a produção de alimento de origem animal emite significativamente mais gases do efeito estufa do que a produção baseada em plantas, além de consumir mais água, segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB);

  • O atual crescimento desenfreado da pecuária é o principal fator da poluição aquática, do desmatamento, da redução da biodiversidade e do uso e da degradação da terra;

  • Segundo a SVB, uma alimentação exclusivamente vegetariana é compatível com a manutenção de florestas e outras áreas naturais, por otimizar o processo produtivo e não demandar grandes quantidades de recursos. Supondo uma população mundial vegetariana, seria suficiente o cultivo de terras com reconhecida aptidão para a agricultura. Desta forma, não haveria demanda pela irrigação ou pela exploração de novas terras, ficando estas reservadas para os ecossistemas naturais.


Vegetarianismo e a atualidade


  • Em 2021, de acordo com a SVB, um terço dos brasileiros escolhe opções veganas em restaurantes e outros estabelecimentos - e quase metade opta por não comer carne um ou mais dias por semana;

  • Em fevereiro de 2022, a SVB realizou uma pesquisa pela inteligência em Pesquisa e Consultoria e constatou que em todas as regiões brasileiras e independente da faixa etária, 46% dos brasileiros já deixam de comer carne, por vontade própria, pelo menos uma vez na semana.

Conclusão


Uma dieta sem carne equilibrada, além de proporcionar uma oferta nutricional adequada, também promove saúde e previne inúmeras doenças crônicas responsáveis pela perda de qualidade de vida e pela diminuição da expectativa de vida.


Muitas evidências científicas comprovam os benefícios das dietas baseadas em vegetais sobre as dietas baseadas em carne animal. Porém, para não ter déficit de nutrientes e falta de energia, é imprescindível a consulta com profissional, tanto médico quanto nutricionista!


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A alimentação é um fator muito importante para nossa vida, e seguir uma dieta de forma consciente e com o auxílio de um profissional é o mais correto a se fazer. Quando nos deparamos com as “dietas” q

Não é novidade que o colágeno é um dos fatores primordiais para a saúde dos cabelos, unhas e a elasticidade da pele, mas a proteína é muito mais do que isso. Produzido pelo nosso corpo, ele desempenha

A constipação intestinal (ou obstipação), chamada também de prisão de ventre e intestino preso, é caracterizada pela dificuldade de evacuar - mesmo que o indivíduo sinta vontade intensa. Não existe ao

Logo.png