O perigo dos ovos que parecem ser saudáveis

O ovo de Páscoa é uma das tradições mais antigas da festa de Páscoa. Mas, diante de tantas opções e ingredientes diferentes, será que existem ovos realmente saudáveis? Essa é uma preocupação daqueles que querem manter a boa forma ou buscam cuidar da saúde, mas é também uma preocupação dos pais que não querem oferecer ovos de chocolate ricos em açúcar para as crianças.


A composição dos ovos da páscoa

De acordo com a legislação do Ministério da Saúde, é preciso ter pelo menos 25% dos sólidos totais de cacau (mistura da massa de cacau, cacau em pó ou manteiga de cacau) para ser considerado chocolate. Contudo, os demais 75% da composição de um chocolate podem conter ingredientes variados, como açúcar, leite, gordura vegetal ou até mesmo cacau, entre outros.

Geralmente, quanto maior é a lista de ingredientes, menos saudável é um alimento. No caso do chocolate, quanto maior é o percentual de sólidos do cacau, mais saudável ele é. Além disso, é importante conhecer o tipo de chocolate para saber a qualidade do produto, pois sua matéria-prima é fundamental para determinar se um ovo de páscoa é saudável ou não.

As características dos ovos da páscoa

  • Chocolate ao leite: possui uma maior concentração de leite ou derivados lácteos e açúcar, sendo um vilão para a saúde. Por ter mais ingredientes, esse tipo possui uma quantidade menor de sólidos de cacau em sua composição, o que resulta em um ovo de páscoa mais macio e doce;

  • Chocolate amargo: é a opção mais saudável por ter uma maior concentração de sólidos de cacau e, consequentemente, um menor percentual de açúcar. Normalmente, não possui leite ou tem pouca quantidade. Apresenta diversos níveis de concentração de sólidos de cacau, como 50%, 60%, 70%, entre outros e costuma ser mais escuro e firme;

  • Chocolate zero lactose: para quem tem intolerância ao leite e/ou à lactose pode optar pelos ovos feitos sem a adição do leite ou com leite sem lactose, que costumam ser mais amargos. Mas é sempre importante conferir a quantidade de açúcar presente no alimento, pois, em alguns casos, a indústria pode compensar a retirada do leite com mais gordura e açúcar;

  • Chocolate zero açúcar: é ideal para quem busca uma opção livre de açúcares, como é o caso de diabéticos e pessoas que tentam ser mais saudáveis. Alguns chocolates sem adição da substância são mais amargos, enquanto outros não. Mesmo sendo zero açúcar, é importante conferir o rótulo do alimento para ter certeza de que não está consumindo uma grande carga de adoçantes artificiais, que também podem não fazer bem à saúde. Prefira a adição de edulcorantes naturais, como a estévia;

  • Chocolate com cacau orgânico: trata-se de um produto produzido com um cacau que não teve contato com pesticidas, fertilizantes nem agrotóxicos em sua produção. Geralmente, os ovos de páscoa que levam cacau orgânico costumam ser mais amargos, por causa da maior concentração da fruta, mas é importante conferir a lista de ingredientes antes de consumir;

  • Chocolate branco: é mais açucarado, macio e gorduroso, já que o chocolate é feito a partir da manteiga de cacau; portanto, é um dos produtos menos saudáveis. Os consumidores precisam ficar atentos, já que a manteiga de cacau é 100% gordura. Algumas pessoas, inclusive, não consideram o chocolate branco “chocolate” por não ter a fruta do cacau.


Como escolher o ovo de páscoa saudável de verdade?

  1. Verifique a integridade: o produto deve estar lacrado, inteiro e em perfeitas condições. Por ser um ovo de páscoa, geralmente oco, é comum que a casca se quebre ou amasse ao manusear ou transportar;

  2. De modo geral, quanto mais escuro e amargo for o chocolate, melhor. Eles têm boa quantidade de antioxidantes, como flavonoides, epicatequinas e ácido galáctico. Outros componentes, como o triptofano, atuam, ainda, positivamente sobre a serotonina e dopaminas, substâncias cerebrais responsáveis pela sensação de bem-estar e pelo bom humor, além de terem menos calorias;

  3. Evite os chocolates brancos. Eles são feitos de manteiga de cacau, não possuindo flavonoides; além disso, têm mais gordura;

  4. Cuidado com os ovos de Páscoa recheados, crocantes, trufados, com mousse ou marshmallow e hidrogenados. Essas peculiaridades acrescentam ainda mais gorduras e calorias ao produto e o grande problema da gordura hidrogenada é que é uma das principais causas de inflamação de artéria, associada à hipertensão e diabetes, entre outras doenças;

  5. Leia com atenção o rótulo. Por lei, os ingredientes de um produto são descritos na embalagem por ordem decrescente de quantidade, ou seja, as primeiras substâncias são as que mais têm no alimento. É fundamental conferir as informações para ter certeza de que está levando um produto de qualidade, pois pode conter uma lista cheia de ingredientes nada saudáveis;

  6. Exceto se você for diabético, o chocolate diet não é uma boa pedida. Essa versão exclui o açúcar, mas não a gordura, fazendo com que o valor calórico do produto seja alto - às vezes, até maior que de chocolates com açúcar;

  7. Se você é alérgico ou intolerante ao chocolate, a melhor opção é a alfarroba, pois não contém glúten, cafeína nem lactose, podendo inclusive ser consumida por aqueles que são intolerantes ao leite. O creme de alfarroba também é uma opção interessante no lugar dos cremes de avelã, carregados de gordura vegetal;

  8. Confira o prazo de validade.

Essas são as dicas para um consumo mais saudável na páscoa, para não se enganar consumindo algo que você achou que era saudável, mas não é. Lembre-se de aproveitar o dia; afinal, é uma data especial! Importante ter sempre equilíbrio, não passando vontade - exceto em casos específicos de restrições obrigatórias.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Se você está acostumado a devorar suas refeições sem prestar atenção no que está fazendo, você não está sozinho. Nosso estilo de vida agitado torna muito fácil buscar lanchinhos não saudáveis ​​para u

Todos os dias, temos contato com muitos compostos tóxicos para o nosso organismo, como medicamentos, agrotóxicos, metais pesados presentes em cosméticos, aditivos alimentares, compostos de embalagens,

A ciência é clara: comer os alimentos certos pode levar a uma vida mais longa e saudável. Entretanto, algumas pessoas acham mais difícil comer de forma mais saudável à medida que envelhecem por vários

Logo.png