Os impactos da falta de iodo no corpo

O iodo é um mineral essencial para o ser humano e pode ser encontrado naturalmente em solo terrestre e no mar. É necessário para a síntese dos hormônios tireoidianos que regulam as funções do organismo e sua deficiência pode levar ao bócio. Tendo essas informações em vista, precisamos conscientizar a população sobre como pode ser causada tal falta no corpo e seus impactos.

Deficiência do Iodo

Segundo estudo da World Health Organization, a estimativa global é de que 1,88 bilhão de pessoas, incluindo 241 milhões de crianças em idade escolar, têm ingestão alimentar insuficiente de iodo. Mesmo que a deficiência de iodo possa ser mais grave nos países em desenvolvimento, ela também reproduz efeitos nocivos aos países considerados desenvolvidos.


As pessoas que vivem longe do mar e em altitudes mais elevadas correm um risco em especial de deficiência de iodo, pois tais localidades apresentam baixos níveis do mineral no solo e, consequentemente, muitos alimentos não conseguem absorver as quantidades adequadas de iodo. Ainda assim, é importante ressaltar que a quantidade de iodo disponível nos alimentos normalmente não é suficiente para suprir as necessidades do organismo.

Por que existe a deficiência de iodo?

Segundo o National Health And Nutrition Examination Survey Nhanes, nos últimos 30 anos houve uma queda de 50% na ingestão de iodo no mundo. Tal situação pode ser explicada, em parte, porque o iodo sofre, em seu sistema de captação intracelular, uma competição entre os elementos halogênios, como Cloro, Bromo e Flúor, que penetram pelo mesmo sistema e, assim, as células trabalham captando os elementos em maior concentração.


O estilo de vida moderno impossibilita a absorção dos níveis adequados de iodo, pois estamos amplamente expostos aos halogênios listados. O banho que tomamos diariamente é repleto de Cloro, a higiene oral está ligada ao Flúor e os farináceos, amplamente utilizados pela população, possuem Bromo em sua composição.


Sendo assim, muitas pessoas apresentam deficiência de iodo e, por isso, é necessário fazer exames de rotina com um médico para conferir se as quantidades de iodo estão adequadas no organismo.

Benefícios comprovados:


  • Essencial para o crescimento: o iodo é essencial para o funcionamento da glândula da tireoide, que sintetiza hormônios que agem no crescimento físico e neurológico. Uma ingestão suficiente de iodo no organismo ainda fará com que o cabelo e as unhas tenham um crescimento saudável;

  • Elimina toxinas: o iodo ajuda a eliminar toxinas que estão no corpo. É especialmente eficaz contra certos produtos químicos e tóxicos, como mercúrio, chumbo e flúor;

  • Importante para o metabolismo: o iodo é essencial para a síntese dos hormônios tireoidianos, que atuam no metabolismo basal, dos lipídios, dos hidratos de carbono, das proteínas, da água e de alguns minerais. Eles também agem na manutenção da temperatura corporal;

  • Importante para o coração e outros órgãos: por ser necessário para a síntese dos hormônios tireoidianos, o iodo auxilia na regulação do ritmo cardíaco e da pressão arterial. Pelo mesmo motivo, também é essencial para o funcionamento do fígado, rins e ovários.

Alimentação rica em iodo

Uma alimentação balanceada é essencial para a manutenção dos níveis de iodo e de diversos outros elementos vitais à saúde humana. Abaixo, uma lista de alimentos que podem ajudar na dieta equilibrada:


1. Cavala (peixe);

2. Mexilhão;

3. Bacalhau;

4. Salmão;

5. Merluza;

6. Berbigão;

7. Pescada;

8. Ovo;

9. Camarão;

10. Arenque;

11. Wakame (alga japonesa);

12. Kombu (alga japonesa);

13. Sal iodado.

Quantidade recomendada de iodo

A quantidade média recomendada de iodo para cada idade de acordo com a Organização Mundial de Saúde é:


  • Crianças de 0 até 1 ano: 90 microgramas (mcg) por dia ou 15 mcg/kg/dia;

  • Crianças de 1 ano a 6 anos: 90 mcg por dia ou 6 mcg/kg/dia;

  • Crianças de 7 a 12 anos: 120 mcg por dia ou 4,0 mcg/kg/dia;

  • Adolescentes e adultos: 150 mcg por dia ou 2,0 mcg/kg/dia;

  • Gestantes e lactantes: necessidades chegam a 200 mcg por dia ou 3,5 mcg/kg/dia.


Portanto, o iodo necessário para o corpo deve vir da dieta. Mas, há pouco iodo nos alimentos, a menos que tenha sido adicionado durante o processamento. Então, se você deseja saber mais detalhes sobre a correta absorção de iodo, converse com o seu médico de confiança e entenda quais as melhores opções de suplementação para o seu quadro.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Se você está acostumado a devorar suas refeições sem prestar atenção no que está fazendo, você não está sozinho. Nosso estilo de vida agitado torna muito fácil buscar lanchinhos não saudáveis ​​para u

Todos os dias, temos contato com muitos compostos tóxicos para o nosso organismo, como medicamentos, agrotóxicos, metais pesados presentes em cosméticos, aditivos alimentares, compostos de embalagens,

A ciência é clara: comer os alimentos certos pode levar a uma vida mais longa e saudável. Entretanto, algumas pessoas acham mais difícil comer de forma mais saudável à medida que envelhecem por vários

Logo.png