Os vários problemas causados pelos refrigerantes

As bebidas açucaradas são a forma mais fácil e comum de consumir quantidades excessivas de açúcar e isso pode levar à resistência à insulina, pois elas fornecem muitas calorias e praticamente nenhum outro nutriente. Pessoas que bebem refrigerantes constantemente não se sentem tão satisfeitas como se tivessem ingerido as mesmas calorias de alimentos sólidos com demais nutrientes.


A lata média de refrigerante adoçado fornece cerca de 150 calorias. Se você bebesse apenas uma dessas todos os dias e não reduzisse as calorias em outras refeições, poderia ganhar até 2,5kg por ano. Além do ganho de peso, o consumo pode aumentar o risco de diabetes tipo 2, doenças cardíacas e outras doenças crônicas.

Bebida açucarada e a epidemia de obesidade


Infelizmente, as bebidas açucaradas são a escolha regular de milhões de pessoas em todo o mundo e as principais contribuintes para a epidemia de obesidade. Há evidências científicas de que a redução do consumo de bebidas com açúcar reduz a prevalência da obesidade. Para agravar o problema, o tamanho das porções de refrigerantes aumentou drasticamente nos últimos 40 anos, levando ao aumento do consumo entre crianças e adultos.


Antes da década de 1950, as garrafas de refrigerante padrão eram de aproximadamente 184g. Na década de 1950, foram introduzidos tamanhos maiores, incluindo a lata de 340g, que se tornou disponível em 1960. No início da década de 1990, garrafas de plástico de 566g se tornaram o padrão e, hoje, elas estão ainda maiores, como quase 1kg.


De 1989 a 2008, as calorias de bebidas açucaradas consumidas por pessoa aumentaram 60%, passando de 130 para 209 calorias por dia, e a porcentagem de crianças que as consumiram aumentou de 79% para 91%.

Marketing dos refrigerantes


  • Em 2011, marcas da Coca-Cola e Pepsi.Co fizeram várias promessas de que comercializariam menos para as crianças. A Coca-Cola, por exemplo, afirmou que "... não colocará o marketing de suas marcas na televisão, no rádio e na programação impressa voltada principalmente para crianças menores de 12 anos ...";

  • Em 2013, a Coca-Cola lançou um anúncio “anti-obesidade” reconhecendo que refrigerantes adoçados contribuem para a epidemia de obesidade. A empresa anunciou sua ampla gama de bebidas sem calorias e incentivou os indivíduos a assumirem a responsabilidade por suas próprias escolhas de bebidas e peso. As respostas ao anúncio foram ruins, com impressões de enganosas e imprecisas ao esconder os perigos do refrigerante para a saúde;

  • Uma análise de 2019 feita pelo UConn Rudd Center para Food Policy and Obesity descobriu que crianças de 2 a 11 anos veem duas vezes mais anúncios de bebidas açucaradas do que outras bebidas, e também veem quatro vezes mais anúncios dessas bebidas do que os adultos;

  • A crítica severa da mídia à Coca-Cola fez com que as vendas da empresa caíssem em sintonia com o declínio geral do consumo de refrigerantes. O volume de vendas de refrigerantes caiu 0,9% entre 2013 e 2014, tendo a Coca perdido 1,1% e a Pepsi, 1,4% por conta dos problemas de saúde causados pelos refrigerantes - obesidade principalmente.


A farsa dos refrigerantes “zero”

Os refrigerantes zero açúcar são uma das maiores fontes de adoçantes artificiais. Por mais que tenham zero calorias, o que é um ponto positivo quando comparado aos refrigerantes “normais”, está longe de ser uma opção para o processo de emagrecimento ou para a saúde em geral, pois têm uma intensidade de doçura maior por grama do que os adoçantes com calorias.

Os refrigerantes light:

  • Aumentam a compulsão por doces;

  • Causam alteração hormonal;

  • Desregulam a microbiota intestinal;

  • Favorecem o ganho de gordura corporal;

  • Possuem uma grande quantidade de sódio e podem influenciar diretamente na retenção de líquidos e hipertensão.


Está claro que bebidas açucaradas devem ser evitadas para o bem da nossa saúde. Existe uma variedade de bebidas mais saudáveis que podem ser consumidas no seu lugar, sendo a água a melhor opção, mas tem outras possíveis que podem “enganar” melhor na substituição.

Algumas possíveis opções:


  • Água com gás;

  • Água com gás + limão ou laranja + gelo

  • Suco de frutas cítricas fatiadas ou até mesmo com algumas ervas frescas;

  • Chá caseiro, como chá gelado espumante com limão, pepino e hortelã;

  • Baer mate ou Matcha;

  • Kombuchas;

  • One more;

  • Guaraná Natu;

  • Wewí;

  • Gloops


A redução de nossa preferência por refrigerantes exige ação em vários níveis - de cientistas, de profissionais de marketing, da indústria de bebidas, de consumidores individuais e famílias, escolas e locais de trabalho, e governos estaduais e federais. Devemos trabalhar juntos para esta causa urgente: aliviar o custo e o fardo das doenças crônicas associadas à obesidade e às epidemias de diabetes em todo o mundo.


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças crônicas são aquelas que duram por mais de 1 ano. A psoríase, por exemplo, compõe esse grupo. Caracterizada pelo aparecimento de lesões avermel

Logo.png