Qual a intensidade ideal de exercícios?

Muita gente pensa que, para se beneficiar, é necessário passar horas na academia, o que acaba gerando uma percepção de “tudo ou nada”. E o pior, acaba indo pro velho “melhor não fazer nada”.


Acho importante quebrar com esse tipo de pensamento. Segundo diretriz do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, “alguma atividade física é melhor que nada”!!


Um pequeno aumento na condição física de pessoas previamente sedentárias já está associado a grandes benefícios e melhoria no estado de saúde. Se você é do tipo que não gosta de praticar muitas atividades físicas, tenho uma boa notícia: qualquer tipo de exercício é válido. Comece pequeno, devagar... Não precisa tirar nem uma nem meia hora por dia, tire de 5 a 15 minutos. Você vai ver que é muito mais fácil e já vai fazer diferença na sua saúde.


É claro que nem tudo são flores... Quanto mais exercícios, mais benefícios (claro que com cuidado). Um estudo calcula que para obter os benefícios substanciais de saúde, os adultos devem fazer no mínimo 150 minutos de exercício aeróbico de intensidade moderada, ou 75 minutos de intensidade vigorosa, por semana. Ou ainda uma combinação entre as duas! As atividades diárias podem ainda ser fracionadas; por exemplo: 10 minutos de manhã, 10 minutos depois do almoço e 10 antes de dormir.


A intensidade moderada diz respeito àquelas atividades nas quais o ritmo cardíaco é mantido entre 45% e 60% da Frequência Cardíaca Máxima (FCMax.) - para calcular, considere FCMax = 220 – idade. Já os exercícios de intensidade vigorosa são aqueles nos quais o ritmo cardíaco é mantido acima de 60% da FCMax.


É importante destacar que, nos adultos mais velhos, particularmente os que estão frágeis ou muito idosos, a metade do volume de exercícios atualmente recomendada já pode ser suficiente para se obter os benefícios esperados.


Outro ponto bacana de discutir, que gera muita dúvida para muita gente é: o que é melhor? Correr ou caminhar?


Um estudo realizado por pesquisadores do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, na Universidade da Califórnia, revelou que correr ajuda a perder peso mais rápido que caminhar, mas que ambas as atividades são igualmente saudáveis.


A Escola de Medicina de Harvard publicou o relatório “Caminhando para a Saúde” que exemplifica a progressão entre o nível de intensidade da atividade e os ganhos de saúde:


· Uma caminhada de 15 minutos pode reduzir a ansiedade e a vontade de comer doces.

· Caminhar protege as articulações ao lubrificá-las e ao fortalecer os músculos que as suportam.

. Com 8km a 10km de caminhada por semana, já há redução das dores articulares.

· Caminhar uma hora por dia, em ritmo acelerado, reduz pela metade os efeitos dos genes que promovem ganho de peso.


Depois disso tudo, até deu vontade de dar uma caminhada no parque, não é mesmo? Coloque uma boa música com fone de ouvido e faça destes minutos um momento, além de saudável, prazeroso :)


Qualquer dúvida, consulte um profissional especializado para obter a melhor orientação.





Fonte:

https://www.essentialnutrition.com.br/conteudos/exercicio-fisico-e-ganho-de-saude/

https://grupoqualidadeemsaude.com.br/2020/02/caminhar-ou-correr-qual-e-o-melhor-exercicio/#:~:text=Um%20estudo%20realizado%20ao%20longo,do%20exerc%C3%ADcio%2C%20mas%20da%20quantidade



11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Como escolher o colágeno para melhorar o intestino?

Já falei um pouquinho aqui no blog sobre a importância do colágeno na saúde do intestino. Agora, vale explicar como incluir a proteína no dia a dia e beneficiar as condições digestivas. O colágeno est

O colágeno e o intestino

Você deve ter ouvido falar nos benefícios do colágeno para a firmeza e a elasticidade da pele. O que poucas pessoas sabem é que a proteína, tão importante para a estrutura do corpo, também atua para m

Logo.png